História do Brasil




História do Brasil
Período Colonial: Descobrimento do Brasil
Período Imperial: Independência do Brasil
Brasil República
Fale conosco
Mapa do site




Período Colonial: Descobrimento do Brasil
 
O dia 22 de abril de 1500, data o descobrimento do Brasil pelas frotas de Pedro Álvares Cabral. A viagem ao continente americano foi um equívoco. Ora, pretendia-se chegar às Índias, uma vez que o navegador Vasco da Gama, obteve sucesso nesse percurso: Portugal – Índia. Então, o rei D. Manuel I, resolveu enviar outra frota para as Índias. O novo grupo de navegantes era composto de 13 embarcações: dez naus e três caravelas.

O primeiro contato visual com o território tupiniquim foi com um monte, nas alturas do estado da Bahia, onde Pedro Álvares Cabral e sua tripulação aportaram: batizou-se com o nome de Porto Seguro. Dois dias depois, em 24 de abril de 1500, houve o contato com os indígenas. E, também, assim que os portugueses chegaram, realizou-se uma missa no novo mundo, em 26 de abril, do mesmo ano. E foi rezada pelo Frei Henrique de Coimbra.

De acordo com a carta de Pero Vaz de Caminha, os portugueses partiram no dia 9 de março de 1500. Na véspera da Páscoa, os lusitanos avistaram as novas terras, como segue no trecho da carta a El Rey D. Manuel I: “Neste mesmo dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra! A saber, primeiramente de um grande monte, muito alto e redondo; e outras serras mais baixas ao sul dele; e terreno plano, com grandes arvoredos...”.

No momento em que se depararam com a suposta Índia, nomearam a terra e o monte. “O capitão pôs o nome de 'O Monte Pascoal' e à terra de 'A Terra de Vera Cruz!'”. O primeiro contato com os nativos foi bem pacífico. Os indígenas vinham com seus arcos empunhados e estavam nus. Eles se interessavam pelos novos objetos que os portugueses traziam consigo.

Conseguiam identificar o material com que eram feitos. “Todavia um deles fitou o colar do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos que havia ouro na terra. E também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo acenava para a terra e novamente para o castiçal, como se lá também houvesse prata!”.

Antes da chegada dos portugueses ao Brasil, fechou-se um acordo de divisão de terras: o Tratado de Tordesilhas, em 1494. Portugal e Espanha fracionaram o território brasileiro em duas partes: o leste, compreendendo, também, o litoral, ficou com os lusitanos. A parte interior, bem como os outros países da América do Sul, ficaram com a Espanha.

Período Colonial

pau-brasil-colonia-exploracaoDom Manuel I, rei de Portugal, não tinha interesse nas terras brasileiras. A princípio, o achamento das Índias, por Vasco
da Gama, era lucrativo. O pau-brasil foi utilizado para a construção de móveis e navios e como corante, pois soltava a cor avermelhada – interessante para tingir tecidos. Nas chamadas feitorias eram armazenadas toneladas de pau-brasil, para a próxima frota transportar até Portugal.

Piratas franceses saqueavam esses locais, juntamente com os índios que os apoiavam. Havia divisão entre os nativos, uns apoiavam os portugueses e outros apoiavam os franceses. Mais de quinze anos depois da chegada ao Brasil, o rei D. Manuel decide ocupar o território brasileiro. Indígenas trabalhavam para a Coroa portuguesa, em troca do corte e transporte do pau-brasil até as caravelas, eles recebiam espelhos, apitos, chocalhos e outros. Essa política de trocas foi chamada de escambo.

A época de exploração do pau-brasil compreendeu do ano de 1500 até 1531. Os estrangeiros buscavam a madeira na costa brasileira. Além dos franceses, os ingleses e holandeses exploravam as terras de Portugal e Espanha, pelo Tratado de Tordesilhas. A estratégia adotada pelos portugueses foi a divisão do Brasil em capitanias: organizar a colônia, a fim de erradicar invasões, povoar o território e iniciar o cultivo da cana-de-açúcar.


Exploração do açúcar

Ainda assim, os h
cana-de-acucar-engenhoolandeses, liderados por Maurício de Nassau, permaneceram no Brasil, entre 1630 a 1654. Eles eram tão somente interessados no ouro branco. Nassau modernizou a capital do Pernambuco, na época em que os neerlandeses permaneceram por lá. Os franceses permaneceram por um tempo, mas foram expulsos. Construíram a capital maranhense, São Luís, homenagem ao então rei da França.

Com o loteamento do território brasileiro, os portugueses construíram vilas e engenhos. A falta da mão de obra deu início ao tráfico negreiro. A nova onda comercial era o açúcar da cana. Na Europa, utilizava-se o açúcar derivado da beterraba e, por isso, pagavam caro pelo
produto dos engenhos.

A Coroa portuguesa investiu nas capitanias de São Vicente e Pernambuco, onde o foco era o cultivo do chamado ouro branco: o açúcar. Devido a uma desorganização – muitos que receberam os lotes, abandonaram. O sistema de capitanias fracassou – o rei de Portugal decidiu centralizar o poder e criou o Governo-Geral.

Tomé de Sousa, o primeiro governador-geral, ordenou a iniciação do processo de exploração, com o intuito de achar os metais preciosos. Antes das expedições, o Brasil possuía a monocultura que visava o comércio exterior. Os escravos africanos eram meros objetos nessa sociedade.


Descoberta do ouro

ouro-no-brasilCom a descoberta das minas de ouro pelas expedições e bandeiras, o Brasil expandiu seu território e quebrou o acordo com a Espanha. Começou, então, a corrida do ouro. Todos pleiteavam o metal precioso, a metrópole da colônia o desejava muito mais. Cobrava-se 20% de todo ouro achado no Brasil – o quinto.

Em consequência dessa exploração por parte de Portugal, desencadearam várias revoltas e conflitos, tais como: a Guerra dos Emboabas, Conjuração Baiana, Guerra dos Mascates, entre outras. O período colonial brasileiro se estendeu até o ano de 1785. Em 1808, a Família Real portuguesa chegou no Brasil, fugida dos ataques de Napoleão Bonaparte. Após a saída da corte, em 1821, o Brasil entrou em uma nova era: o império.